Arraial do Cabo é um município localizado na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro. A cidade fica na costa litorânea e tem uma altura média de apenas oito metros. Foi fundada em 1503 pelo conquistador Américo Vespúcio e só se tornou município no ano de 1985, após a emancipação de Cabo Frio. Em 2014, tinha 28.866 habitantes, segundo o IBGE. As rodovias que servem o município são RJ-140/BR-120 e RJ-102.

Arraial ao Cabo, como o nome sugere, é realmente um cabo, um grande pedaço de terra que se projeta ao mar, tem uma pequena variedade de praias nas baías, entre as quais algumas das mais belas praias do mundo. Na cidade há Porto do Forno, que é na verdade um paraíso para três cais, através dos quais os produtos vão para a cidade, e os produtos salgados saem. Ideal para mergulho, o ecoturismo é a base da economia da cabine, sem utilizar a região para desenvolver a aquicultura e a maricultura. Ele também tem uma área urbana muito simples e inquieto com apenas dois andares de edifícios em ruas sinuosas e estreitas.

Há cerca de um milhão de anos, ventos, correntes e marés começaram a acumular-se entre três antigas ilhas – hoje conhecidas como Mirante, Forno e Pontal – que as ligam ao continente, formando assim o cabo que liga a cidade de Arraial ao Cabo.

Foto: Reprodução

Os primeiros habitantes eram nômades e chegaram à região há cerca de cinco mil anos. Viviam em pequenos grupos nos picos dos morros e desciam apenas em busca de alimento, principalmente peixes e moluscos. Os Tamoios eram os habitantes mais comuns da região no momento da chegada dos portugueses, embora também existissem tribos de outros Tupinambás. Estas tribos comeram principalmente peixe e crustáceos e complementaram a sua alimentação com mandioca e caça. Nestas tribos, a produção de cerâmica era uma característica especial, o que também significava envolvimento em conflitos entre os portugueses e os corsários, especialmente os franceses.

Depois que Américo Vespúcio decidiu deixar o resto da frota da segunda expedição para a costa brasileira, navegou para o sul, chegou à Praia da Rama – hoje conhecida como Praia dos Anjos – e ali ancorou pouco depois. O local recebeu o nome de Cabo Frio por causa de fatores que de alguma forma fascinavam os marinheiros. Entre eles:

  • As correntes oceânicas locais tinham uma temperatura muito mais baixa do que as temperaturas normais das águas costeiras brasileiras (hoje este fenômeno é chamado de recaída).
  • Os ventos contínuos eram também muito mais frios do que o resto da costa e deram a impressão de que a temperatura local era mais baixa do que realmente era.
  • As condições meteorológicas mudaram abruptamente neste ponto e de repente mudaram de um dia ensolarado para um dia nublado, com uma elevada probabilidade de nebulização e em alguns casos movendo-se no mar.
Foto: Reprodução

Américo Vespúcio decidiu então construir uma fortaleza no local (cujas ruínas permanecem no local, um caminho acessível entre a Praia e o Forno e a Prainha), onde deixou 24 pessoas com armas e acessórios. Provavelmente como resultado do estabelecimento desta fortaleza, a aldeia começou a desenvolver um modesto povoado, que foi um dos primeiros (provavelmente o primeiro) no Brasil. Ainda hoje, a primeira construção em tijolo do país recentemente descoberto, a “Casa da Piedra”, pode ser vista na cidade.

Na cidade há um marco histórico que comemora a visita de Américo Vespúcio. É composto por um obelisco, uma fonte existente e uma tabela que resume parte da história local. Durante séculos, a cidade tem vindo a prosseguir a sua vocação natural de vila piscatória. E na primeira metade do século XX, 1943, com a fundação da Companhia Nacional de Álcalis, a economia local foi reforçada. A fábrica produzia barris e matérias-primas para a produção de vidro. A oferta de empregos aumentou. Trabalhadores qualificados da unidade alcalina do Rio Grande do Norte foram trazidos para a cidade, e ofertas de trabalho trouxeram trabalhadores de outras regiões. Isso contribuiu para a consolidação e o desenvolvimento da cidade.

Arraial do Cabo é conhecida nacionalmente como a “capital do mergulho”. Suas praias de águas transparentes, com rica fauna marinha e areia muito branca o tornam um dos lugares mais populares para pesca submarina e mergulho. As principais praias são: Praia dos Anjos (onde está localizado o Porto do Forno), Prainha, Praia do Forno, Praia Grande, Prainha, Atalaia, Praia da Ilha do Farol, Graçainha e Praia do Monte Alto, entre outras. A cidade também possui uma área protegida pelo IBAMA, a restinga de Massambaba (faixa estreita de terra que banha no sul no Oceano Atlântico e no norte na lagoa de Araruama), onde se encontram as orquídeas mais exóticas do mundo.

Foto: Reprodução

Dicas de Turismo em Arraial do Cabo

Arraial do Cabo é geralmente um destino para visitantes de um dia, principalmente de Cabo Frio e Búzios, mas há também atrações que justificam uma estadia mais longa. O forte aqui é o belo e bem preservado litoral. As famosas praias do Pontal do Atalaia impressionam com um mar azul claro e areia limpa, enquanto o farol da ilha de Cabo Frio tem dunas e areia branca – acesso ao farol por barco, onde você também pode visitar a Gruta Azul, um dos melhores lugares para mergulho livre do Brasil.

Há duas maneiras de chegar do Rio de Janeiro até Arraial do Cabo. Na rota normal (164 km) tomar a ponte Rio-Niterói (pedágio), seguir pela BR-101 até Rio Bonito (pedágio) e Via Lagos/RJ-124 (pedágio) e passar por São Pedro da Aldeia e Cabo Frio. Há uma variante mais curta (153 km) com menos portagens, mas mais tempo é gasto. Neste caso, após atravessar a ponte Rio Niterói (rodovia com pedágio), seguir Niterói via Alameda São Boaventura e RJ-104 até Tribobó, depois via Rodovia Amaral Peixoto/RJ-106. A Viação 1001 serve a linha entre o Rio de Janeiro e Arraial do Cabo em diferentes momentos do dia – a viagem dura três horas.

Foto: Reprodução

A cidade é relativamente pequena e de fácil acesso. Para chegar às melhores praias do Pontal do Atalaia, você precisa de um carro: As praias estão a 4 km do centro da cidade e ainda é necessário subir escadas. Nos feriados e fins de semana, o trânsito pode ser caótico, evite o trânsito. A viagem de barco faz uma pequena paragem ali.

A melhor época para visitar Arraial do Cabo é no verão, devido à água de lá ser fria, por causa do fluxo de água fria da Antártida, que corre para a região de Cabo Frio e Arraial ao Cabo. Entretanto, isto não impede o turista de curtir o mar de Arraial do Cabo ao longo de todo o ano. Em suma, é difícil de prever. Você pode mergulhar em qualquer época do ano. Evite férias e fins de semana, o trânsito nas melhores praias pode ser caótico e faltam vagas de estacionamento.

Tome dois dias para visitar as famosas praias do Pontal do Atalaia e Praia Grande. A primeira é constituída por duas pequenas baías de areia fina e branca. A segunda é a favorita dos praticantes de surfe.

Foto: Reprodução

Faça um passeio de barco até à Praia do Farol, na ilha de Cabo Frio. Todos os dias você pode desfrutar da excursão de mergulho. A água de Arraial do Cabo é transparente, com uma rica fauna marinha e vários locais de mergulho. Com acesso a partir do Pier Praia dos Anjos, você pode caminhar por uma trilha íngreme de 15 minutos até a Praia do Forno, outro bom ponto de mergulho.

Para quem gosta de mergulhar, a Arraial do Cabo oferece terreno fértil durante todo o ano. A água é transparente, há uma série de pontos – cerca de 35 entre ilhas, baías e naufrágios – e a fauna marinha é uma das mais ricas pelo fenômeno da ressurreição (correntes de diferentes áreas que se formam na praia e movimentam o fundo do mar, criando nutrientes que alimentam diferentes espécies). Operadoras PL Divers, Arraial Sub e Sand Mar oferecem cursos de mergulho.

Uma das melhores empresas para passeios de barco é Saveiro Don Juan. O barco geralmente sai mais cedo que os outros e é um dos primeiros a chegar à Praia do Farol, uma das mais perfeitas da região, mas pode facilmente perder seu charme se estiver cheio de barcos e a pequena faixa de areia estiver cheia de gente.

Foto: Reprodução

No centro, a Praia dos Anjos não é de modo algum a praia mais bonita da região, mas está a tornar-se cada vez mais importante: tem restaurantes, é o ponto de partida para passeios de barco e tem fácil acesso a outras praias. Há a Pousada Canto da Baleia, em frente à praia, a Pousada Pilar, cujo relógio é do ano de 1907, e a Pousada do Capitão, com decorações náuticas. A 200 m da Praia Grande, a Pousada do Timoneiro oferece um extenso café da manhã e uma sauna que leva ao sucesso após um dia na praia. Para evitar o perfil do Arraial pousadeiro, o Hotel Mediterranee proporciona hospedagem com linha quase executiva com 80 apartamentos, piscina, sauna e salão de jogos. A Pousada da Prainha, na entrada da cidade, está localizada um pouco longe do centro e muito perto da Prainha. Arraial do Cabo também conta com outras opções de hospedagem, como o Ocean View Hotel, Costa Dourada Pousada, Pousada Gênesis e Hotel da Canoa, dentre outras.

Comparada com Búzios e Cabo Frio, a gastronomia de Arraial do Cabo não é tão glamurosa. Entretanto, há bons restaurantes e petiscarias. Pequena, no início da estrada para a Praia do Forno, a Gastronomia Pimenta Rosa é um lugar agradável para quem quer comer bem e relaxar. Na Pousada Caminho do Sol, o restaurante Sol na Cozinha tem um menu com receitas da culinária mediterrânea. Peixe e frutos do mar são as especialidades do menu do Meu Xodó na Praia Grande, e do restaurante Saint Tropez na Praia dos Anjos. No Bacalhau do Tuga, além das receitas portuguesas, o peixe com banana é uma excelente pedida.

Deixe uma resposta