Durante séculos, as civilizações humanas em todo o mundo construíram e criaram cidades, edifícios, monumentos, túmulos, templos, igrejas, mesquitas e outras estruturas que inspiram milhões de pessoas. É uma tarefa difícil limitar as maravilhas do mundo a apenas sete.

As Novas Sete Maravilhas do Mundo foram uma visão informal da lista original de sete maravilhas do mundo compilada pela Swiss New Open World Corporation (NOWC). A seleção foi feita em todo o mundo através de sondagens gratuitas na Internet e de chamadas telefônicas.

No final de 2005, a lista de monumentos listados tinha 200 membros e foi reduzida para 77 dos mais frequentemente eleitos pelo público. Os 21 monumentos finalistas foram selecionados por um grupo de arquitetos presidido pelo antigo Diretor-Geral da UNESCO, Federico Mayor, de acordo com critérios de beleza, complexidade, valor histórico, significado cultural e significado arquitetônico.

A Necrópole de Gizé, no Egito, foi retirada da lista de finalistas para obter o título de Miraculous Honorary, deixando apenas 20 finalistas a quem foi novamente dada livre escolha. Os sete monumentos vencedores foram apresentados ao público no dia 7 de Julho de 2007, numa cerimônia realizada no Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal. A mesma apresentação revelou as sete maravilhas de Portugal. A votação foi uma das maiores da história, com mais de 100 milhões de votos.

Embora nada seja mencionado sobre os monumentos indianos que existem no planeta, as Sete Novas Maravilhas do Mundo foram selecionadas numa competição informal e popular patrocinada pela New Open World Foundation, com o lançamento da campanha Novas 7 Maravilhas, que incluiu mais de 100 milhões de vozes móveis e da Internet de todo o mundo e foi anunciada a 7 de Julho de 2007 numa cerimônia no Estádio da Luz em Lisboa, Portugal. Apenas monumentos de culturas extintas e um da cristandade, o Cristo Redentor, com monumentos como a estátua de Murugan na Malásia, mas também estátuas gigantes de Shiva e Hanuman na Índia, entre outros, foram selecionados. O concurso não foi apoiado pela UNESCO, um organismo das Nações Unidas.

Taj Mahal – Índia

O Taj Mahal é conhecido em todo o mundo pelo seu valor histórico, pela sua história de amor e pela sua beleza deslumbrante. O Taj Mahal está localizado na histórica cidade indiana de Agra. Abriga o sepulcro de Mumtaz-Maal, mulher do imperador mongol Shah Jahan. Diz-se que o imperador amava muito a sua esposa e que por ele foi pedido, após a sua morte, que fosse construído o Taj Mahal como prova do seu amor. A construção do Taj Mahal foi concluída em 1632. A construção do templo custou hoje o equivalente a 827 milhões de dólares. Em 1983, o Taj Mahal foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Hoje atrai de 7 a 8 milhões de visitantes por ano.

Coliseu – Itália

Roma, Itália, é o lar do Coliseu, uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano, é um anfiteatro oval no centro da cidade. É o maior anfiteatro do mundo e é feito de concreto e areia. A construção do Coliseu foi iniciada pelo Imperador Vespasiano em 72 AD e completado pelo seu sucessor Tito em 80 AD. Domitian, um outro imperador do Dinastia Flaviana, fez mais tarde algumas mudanças ao anfiteatro. O Coliseu tinha capacidade para receber cerca de 80.000 espectadores. Batalhas marítimas zombeteiras, caça aos animais, famosos reservatórios de batalha, execuções e dramas mitológicos foram apenas alguns dos espetáculos públicos do Coliseu. Hoje, esta maravilha do mundo é uma atração turística popular e um símbolo da Roma imperial.

Chichen Itza – México

Chichen Itza é um sítio arqueológico no estado mexicano de Yucatán. É uma cidade pré-colombiana que foi construída durante o período Terminal Clássico pela população Maia. O valor histórico do complexo contribui para a reputação da cidade como uma maravilha do mundo. Chichen Itza é considerada uma das cidades mais importantes do antigo mundo Maia e os edifícios da cidade apresentam uma variedade de estilos arquitetônicos.

Machu Picchu – Peru

Machu Picchu, o destino dos sonhos de milhões de pessoas em todo o mundo, é uma das sete maravilhas do mundo moderno. Ele está localizado na região de Cusco, no distrito peruano de Machupicchu. De acordo com a maioria dos arqueólogos, o imperador Inkaka Pachacuti construiu Machu Picchu como uma propriedade por volta de 1450. A área se desenvolveu em uma cidade, mas foi abandonada um século depois, durante a conquista espanhola. O lugar permaneceu desconhecido para o resto do mundo até sua descoberta pelo explorador americano Hiram Bingham. Machu Picchu é uma grande representação do modo de vida dos Incas.

Cristo Redentor – Brasil

Um dos símbolos mais famosos do Brasil, a estátua de Jesus Cristo estilizada em Art Deco no Rio de Janeiro, é uma das Sete Maravilhas do Mundo. Paul Landowski, escultor francês, recebeu o prêmio pela construção da estátua. O escultor romeno Gheorghe Leonida foi responsável pelo design do rosto. O Cristo Redentor tem 98 pés de altura e uma base de 26 pés. Os braços atingem uma largura de até 92 pés. A estátua de pedra sabão e concreto de 635 toneladas fica na montanha do Corcovado, de 2.300 pés de altura. A construção da estátua começou em 1922 e foi concluída em 1931.

A imagem de Jesus Cristo de braços abertos no Rio de Janeiro não poderia faltar na seleção. Inaugurado em 1931, mais precisamente em 12 de outubro de 1931, levou-se 5 anos para completar a obra, e hoje é um dos cartões postais mais famosos do Brasil. Localizada a uma altitude de 709 metros acima do nível do mar, a estrutura tem 38 metros de comprimento – 8 deles apenas formam a base.

Petra – Jordânia

Petra, um milagre jordaniano, também está listado entre as Sete Maravilhas do Mundo. Tem um imenso valor arqueológico, histórico e arquitetônico que o torna uma surpreendente atração turística. O sistema de abastecimento de água e a arquitetura rochosa são as duas características mais marcantes desta antiga cidade. Petra também é chamada de “Cidade das Rosas” por causa da cor da pedra da qual é esculpida. Petra não é apenas uma das sete maravilhas do mundo, é também um Patrimônio Mundial da UNESCO. Também está listado como um dos “28 lugares que você pode ver antes de morrer” pela Smithsonian Magazine.

Deixe uma resposta