Apesar de não haver uma definição uniforme de turismo, a Organização Mundial do Turismo/ONU define recomendações sobre estatísticas de turismo como “quaisquer atividades que as pessoas realizam durante as viagens e a permanência em lugares distintos dos que vivem, por um período de tempo inferior a um ano consecutivo, com fins de lazer, negócios e outros.”

Um turista pode ser definido como qualquer visitante que passe pelo menos uma noite num estabelecimento de alojamento ou num alojamento privado no local visitado. Segundo alguns autores, a história do turismo está dividida em duas formas de pensar. A primeira seria que se trata de lazer, recreação, cultura, saúde, negócios ou relacionamentos familiares. Estas mudanças de objetivos diferem de outros tipos de viagens motivadas pela guerra, migração, conquista, comércio, etc. No entanto, o turismo tem um contexto histórico claro. Mais tarde, iria se materializar com o movimento de revolução industrial da época.

Foto: Reprodução

A segunda forma de pensar baseia-se no fato de o turismo ter realmente começado com a revolução industrial, porque os deslocamentos eram utilizados para o lazer. Na história da Grécia Antiga, grande importância era dada às atividades de lazer, que eram dedicadas à cultura, entretenimento, religião e esporte. Os deslocamentos mais famosos naquela região e época aconteciam para participar dos Jogos Olímpicos (que aconteciam a cada 4 anos na cidade de Olímpia). Milhares de pessoas rumavam para lá em uma mistura de religião e esporte. Durante o Império Romano, os romanos visitavam fontes termais (como as das termas de Caracalla). Frequentavam grandes espetáculos em teatros, e era comum que se deslocassem até a costa marítima (como no caso de uma aldeia de férias muito famosa: os “orillas del mar”). Tais viagens de lazer eram possíveis graças a três fatores fundamentais: a “Pax Romana”, o desenvolvimento de importantes vias de transporte e a prosperidade econômica que alguns cidadãos usufruíram por meios financeiros e tempo livre.

Na Idade Média, começaram a surgir diversos alojamentos com o nome de Hotel (a palavra francesa para os palácios da cidade). À medida que as viagens de grandes personalidades acompanhadas pelos seus séquitos se tornaram cada vez mais numerosas, impossíveis de acolher todos no palácio, nasceu a criação de novos edifícios hoteleiros.

Foi também a época das grandes expedições marítimas dos espanhóis, britânicos e portugueses, que despertaram curiosidade e interesse por longas viagens. No final do século XVI, era costume enviar jovens aristocratas ingleses para um Grand Tour no final dos seus estudos para completar a sua formação e ganhar experiência. Por ser uma viagem de longa duração (entre 3 e 5 anos), surgiram os conceitos de turista e turismo.

Imagem: Reprodução

Houve uma renovação dos antigos banhos que tinham caído em desuso na Idade Média. Não somente utilizados para indicações médicas, tais banhos também serviam como entretenimento e diversão, como os banhos termais. Foi também nesta altura que o valor terapêutico da argila foi descoberto com banhos de barro como remédio, bem como das praias frias, onde as pessoas tomavam banhos como indicação médica.

Com a revolução industrial, a burguesia se consolidou e fez uso dos recursos econômicos e do tempo livre para viajar. A invenção da máquina a vapor desencadeou uma revolução no transporte que substituiu a tração animal por trens a vapor, com ferrovias cobrindo grande parte da Europa e da América do Norte. A utilização de vapor na navegação também reduziu o tempo de viagem.

A Inglaterra foi o primeiro país a oferecer travessias transoceânicas e dominou o mercado marítimo na segunda metade do século XIX, incentivando os fluxos migratórios europeus para a América. Este é o destaque das empresas de transporte marítimo e naval. Na Europa, o turismo de montanha ou de saúde começa a desenvolver-se: nos famosos sanatórios e clínicas privadas europeus que ali são construídos, muitos deles ainda existem sob a forma de pequenos hotéis que ainda têm um certo charme. É também a época das praias frias (costa azul, Canal da Mancha).

Imagem: Reprodução

Quais são os benefícios da viagem para a saúde?

Melhora as relações sociais

Se você é uma pessoa que tem medo de se aproximar de algum desconhecido e cora quando fala em público, viajar é um bom exercício para lidar com esses medos. Ao viajar você pode fazer novos amigos, compartilhar suas experiências e aprender sobre as histórias de outros para aumentar suas habilidades psicossociais. Sozinho ou acompanhado, durante uma viagem é necessário comunicar com pessoas que você não conhece.

Aumenta a criatividade

Você já se perguntou por que você não tem ideias criativas e originais? A resposta pode ser simples: você pode ficar preso na sua rotina diária. A criatividade surge quando dois neurônios q não se conhecem se cruzam, gerando assim novas conexões. Portanto, viajar pode ser uma terapia eficaz para aumentar suas habilidades criativas. Enquanto viajam, as pessoas estão abertas a conhecer e experimentar coisas novas. Sem dúvida, fugir da vida cotidiana pode ser a melhor maneira de trazer novas ideias à tona.

Foto: Reprodução

Contribui para a saúde do coração

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tratamento sedentário é o quarto fator de risco mais comum de morte por doença cardiovascular. Muitas pessoas tendem a ser sedentárias ou pouco ativas na sua vida diária, mas as que viajam com mais frequência são menos propensas a doenças cardíacas, uma vez que geralmente fazem mais exercício durante a viagem e, mesmo sem se perceberem disso, mantêm o sangue em constante movimento. Caminhadas a museus, ruas, cidades ou reservas naturais como parques, reservas e piscinas são atividades que melhoram a frequência cardíaca.

Reduz o stress

As grandes tensões na vida fazem com que o corpo liberte uma hormônio chamado cortisol, que provoca stress excessivo e doenças relacionadas. Quando viajam, as pessoas normalmente esquecem-se dos problemas durante pelo menos alguns dias.

Aumenta a capacidade de inovação

Durante uma viagem, as pessoas estão conscientes de tudo o que vêem, comem, cheiram e sentem, o que aumenta a sua admiração e curiosidade.

Foto: Reprodução

Aumenta a capacidade de adaptação à mudança

Uma das habilidades psicossociais mais complexas para lidar é a adaptação à mudança. Para muitas pessoas, é difícil sair da “zona de conforto”. Durante uma viagem, as pessoas se adaptam a muitas delas, muitas vezes sem perceber e sempre as apreciam. Mudanças no clima, na alimentação, no vestuário, na linguagem e até no humor, por exemplo. Como resultado, alguém que viaja e gosta de aprender sobre novas culturas e estilos de vida provavelmente vai achar mais fácil lidar com qualquer tipo de mudança em sua vida do que alguém que não o faz.

Melhora a recursividade

Você já teve um problema que não parecia haver as ferramentas certas para consertá-lo? Muitas vezes não sabemos bem como agir, mas quando viajam, as pessoas começam a usar o espírito “MacGyver” para descobrir como é resolver o problema e continuar a viagem. Isto porque as pessoas, inconscientemente, adotam a chamada “atitude do viajante”, ou seja, a capacidade de se adaptar às mudanças efêmeras que sofrem para alcançar o objetivo declarado, que é apreciado pela maioria das pessoas.

Abre a sua mente

Para muitas pessoas é difícil compreender as práticas ou ideologias de outros países ou lugares. Não há dúvida de que viver na mesma cultura pode, por vezes, torná-lo mais fechado. Viajar pode ajudar-nos a compreender todos estes “enigmas” que por vezes consideramos “estranhos”. Portanto, mergulhar em outra cultura e conhecer-lá sem preconceitos fará de você uma pessoa com uma mente mais aberta, uma pessoa disposta a tolerar e compreender outras perspectivas na vida.

Melhora as capacidades cognitivas

Se você quer melhorar sua capacidade de aprender, viajar é uma excelente alternativa. Os viajantes adquirem frequentemente muita experiência e alargam os seus conhecimentos sobre a cultura geral. Você pode ter ouvido (e certamente concorda) que é melhor viajar do que comprar objetos materiais. Graças às experiências que você adquiriu durante uma viagem, é possível otimizar seus processos cognitivos e enriquecer-se com lições que vão além do que você viu na sala de aula. De acordo com a publicação, é mais fácil para os viajantes aprender outras línguas e enriquecer-se no domínio cognitivo.

Viajar nos faz pessoas mais realizadas e felizes

Durante uma viagem você pode experimentar diferentes emoções, mas a mais comum é o sentimento de felicidade. Um estudo da Universidade de Breda, na Holanda, descobriu que 974 em 1500 pessoas mostraram mais felicidade ao planejar uma viagem, pois a partir do momento da decisão e da saída planejada, o sistema imunológico está pronto para liberar endorfinas que têm a tarefa de manter um estado de prazer e bem-estar.

Durante a viagem, as pessoas costumam fortalecer o sistema imunológico através das experiências que ganham e dos momentos que sustentam, sozinhas, com a família ou amigos. Portanto, uma forma eficaz de combater a tristeza ou o tédio é a jornada com que tanto você sonha.

Dicas e cuidados antes de viajar

A viagem, seja ela feita sozinha, com família ou amigos, deve ser cuidadosamente planejada. Alguns detalhes são muito importantes e devem ser comunicados antes da data de partida para que tudo corra bem. Saiba que cuidados são importantes para a viagem:

Foto: Reprodução

Documentação em dia e em mãos

Se você viajar de ônibus, avião ou carro, verifique documentos como passaporte, carteira de identidade e CNH para se certificar de que estão todos precisos e atualizados. Há vários casos em que as pessoas não entraram no país devido à falta de um RG e nem sequer tendo CNH em mãos puderam entrar.

Conheça o clima do destino

Vai para uma cidade distante ou mesmo para outro país? Descubra como está o tempo nesta época do ano e prepare-se bem. Dependendo da estação do ano, leve suas roupas com você, verifique o tempo (veja o tempo nos dias em que você está na estrada) e faça as malas de acordo com as flutuações de temperatura.

Monte um kit de primeiros socorros

É interessante saber que, além da sua medicação diária, você também deve ter um pequeno kit de primeiros socorros com um curativo auto-adesivo, medicamentos para dores de cabeça e dores musculares, vacinas contra a gripe e limpadores de feridas. Nunca se sabe o que pode acontecer, e a prevenção é o melhor remédio neste caso!

Foto: Reprodução

Faça uma reserva de caixa

Separe a reserva de dinheiro e deixe-a em sua bagagem, pois o cartão bancário pode causar problemas ou pode fazer com que você encontre um lugar que não o aceite. Sim, tais imprevistos acontecem!

Prepare uma mala conscientemente

Certifique-se de não colocar mais objetos do que o necessário na sua mala de viagens. Certifique-se de que apenas as roupas, placas e acessórios que vai utilizar estejam na mala. E lembre-se que você sempre compra algo na maioria das viagens, então economize espaço.

Outro ponto importante é que, dependendo de onde você está e do tipo de viagem (por exemplo, uma viagem entre cidades europeias), se a mala for muito pesada, você é quem deve carregá-la constantemente. Muitos hotéis não têm um elevador ou a construção adequada.

Faça a manutenção do seu carro

Se você planeja viajar de carro, entre em contato com o centro de serviços. É importante que seu veículo esteja em boas condições e que todo o equipamento de proteção esteja disponível. Isto é necessário para evitar acidentes e/ou problemas graves.

Foto: Reprodução

Esteja vacinado

Se você estiver viajando para uma região arriscada, vacine-se pelo menos algumas semanas antes.

Faça o seu destino e crie a sua própria rota

Você quer conhecer o lugar, mas não está pronto para participar de excursões locais? Pesquise pela cidade, crie a sua própria rota e tenha sempre à mão o GPS. Aplicações como o Foursquare, Airbnb, sempre nos ajudam a encontrar lugares escondidos e nos dão grandes pontos turísticos e locais curiosos.

Estão são algumas dicas e cuidados de sua viagem para que você possa desfrutar do merecido descanso, seja ele com família, um amigo (a) ou um (o). Viajar é um prazer, mas se envolve alguns detalhes simples, pode ser uma experiência inesquecível!

50 paisagens que vão te dar vontade de viajar

Africa do Sul
Amsterdã
Templo de Angkor Wat
Arizona
Arraial do Cabo
Lapônia
Austrália
Bora Bora
Calábria – Itália
Cappadocia
Cataratas do Iguaçu
Chile
China
Curuçá, Paraná
Cusco, Peru
Deserto de Pináculos – Austrália
Egito
El Salvador
Califórnia
Espanha
Florida Keys
Havana – Cuba
Hong Kong
Ilha Anchieta – Brasil
Ilha de Ishigaki – Japão
Ilhabela – Brasil
Indonésia
Irlanda
Islândia
Istambul – Turquia
Itália
Jalapão – Brasil
Lago Titicaca
Maragogi – Brasil
Marrocos
Mato Grosso do Sul – Brasil
México
Moscou – Rússia
Muralha da China
Nazca – Peru
Nova Zelândia
Ouro Preto – Brasil
Patagônia
Deserto do Saara
Salar de Uyuni – Bolívia
Santorini – Grécia
Seoul – Coréia do Sul
Sibéria
Sossusvlei – Namíbia
Sumatra
Vancouver – Canadá
Uruguai
The Rock Bar – Zanzibar

Deixe uma resposta