Rinoceronte sem chifres

Exploramos em 4 safaris, as reservas de Huluwe Huluwe Imfolozzi e Thula Thula, ao nordeste da África do Sul.

Vimos leões, girafas, zebras, búfalos e vários outros animais.

Mas nos chocou ver raros rinocerontes brancos, o segundo maior mamífero terrestre sem seus chifres.

Nesse país, a população dos rinocerontes vem diminuindo a cada ano e já estão na lista vermelha de espécies ameaçadas extinção devido a intensa caça ilegal para obtenção do seu chifre. Os criminosos profissionais armados invadem as reservas e roubam os chifres e deixam o animal ferido sangrar até morrer. Em algumas reservas até o exercito está ajudando nessa guerra contra os caçadores ilegais.

Na África do Sul o número de rinocerontes caçados ilegalmente em 2015 foi de 1.175. Neste ritmo, o número de rinocerontes sacrificados a cada ano é maior do que o de nascimentos.

O chifre é utilizado sob a forma de pó,e é vendido a 90 mil dólares o quilo no mercado asiático. Eles acreditam que o pó de chifre possui supostas propriedades para combater doença, como o câncer e é afrodisíaco. Esses efeitos sobre a saúde não tem nenhum embasamento científico.

As ações para a conservação do Rinoceronte branco tem sido fundamental para sua proteção. Uma medida de segurança drástica, algumas reservas já estão fazendo com anestesia e ajuda de um veterinário, e serrar os chifres dos animais.(os chifres são como as unhas. Se lixar nascem novamente) Só assim eles tem chance de sobreviver. Rinocerontes brancos hoje estão hoje em santuários fechados em áreas de conservação, que são lugares de proteção intensiva, com monitoramento de câmeras, guardas armados 24 hora/por 7 dias.

Será que meus netos quando crescerem irão ver um rinoceronte vivo, ou somente os conhecerão em fotos dos livros?

Este artigo foi retirado do antigo site. Sua autoria é dos Schurmann.

Deixe uma resposta