Papua-Nova Guine Vulcão

No post anterior nós falamos sobre a riqueza da cultura da Papua-Nova Guiné, mas ainda existe muito para explorar. Você conhece a dança de fogo dos Baining? E o quanto a cultura local mudou ao longo dos anos?

Uma das milhares de tribos que vivem na Papua-Nova Guiné é a Baining. Eles são uns dos mais antigos a viverem no território, habitando quase que exclusivamente as Montanhas Baining. Sim, é de lá que vem o nome deste povo.

Os membros da tribo dos Baining possuem rituais que celebram com igual valor a vida e a morte. Quando ocorre o nascimento de crianças, são organizadas cerimônias especiais que envolvem as famosas danças de fogo (foto). A dança faz parte do universo dos Baining como forma de celebração para quase tudo, incluindo o início da colheita e como homenagem aos que já se foram.

A dança de fogo dos Baining também é um ritual de passagem que transforma os meninos em homens adultos. Somente os homens podem participar da dança de fogo, sendo proibido para as mulheres sequer assisti-la.

A música é parte integrante das múltiplas culturas que existem na Papua-Nova Guiné. Na época das Missões Católicas, os missionários desaprovavam a música popular regional, o que comprometeu muito da produção original da época. Muitas tribos mantêm os seus cantos e danças próprios ao longo dos anos, mas com a imigração dos mineiros australianos e a catequização dos nativos, muito se perdeu.

Apesar disso, a cultura de massa demorou a ser introduzida no país, o que ajuda a reter bastante da sua cultura original. Para você ter uma ideia, a televisão só chegou à Papua-Nova Guiné em 1993, o que contribuiu para que a música norte-americana influenciasse a produção regional.

É fascinante pensar o quanto a cultura de um país se torna única quando vive em isolamento do resto do mundo. Em uma viagem como a Expedição Oriente, podemos ter contato com todo tipo de cultura. Continue acompanhando conosco!

Este artigo foi retirado do antigo site. Sua autoria é dos Schurmann.

Deixe uma resposta